Há uma sala no Convento que tem o nome de António Lopes Cachim. Quem foi este benemérito?

António Lopes Cachim nasceu no Outeiro da Lagoa (concelho da Sertã) no final do século XVI. Cedo emigrou para as colónias portuguesas em busca de fortuna e de uma vida melhor. Encontrou ambas e quando regressou a Portugal e à sua aldeia de origem era um homem rico, detentor de uma fortuna considerável. Sempre se dedicou à concretização de causas nobres e não recusava os pedidos de ajuda que lhe eram feitos. Financiava habitualmente missas e orações pelos mais desvalidos e contribuía com quantias significativas para a igreja.

Tinhas fortes convicções religiosas e cumpria a preceito os deveres que assistem a qualquer católico.

Perto da morte, pediu a Pedro Colaço de Alcobia que fosse seu testamenteiro e administrador de tudo quanto lhe pertencia. O seu testamento é uma verdadeira obra de caridade, tais as somas que deixou em espírito de benemerência.

Assim, no testamento, redigido a 11 de Setembro de 1661, concedeu 15.000 réis para uma vara do palio da igreja matriz da Sertã, um vestido a S. Lucas e outro de baeta a Santo Amaro. Além disso, legou 300 mil réis ao Convento de Santo António da Sertã, quantia destinada às obras que então decorriam. Por fim, instituiu duas capelas, cuja fábrica proveu com sete alqueires de trigo e 10 de azeite.