José Relvas e a ligação ao Convento da Sertã Hotel

O homem que proclamou a República nas varandas da Câmara Municipal de Lisboa, no dia 5 de Outubro de 1910, tinha ligações familiares ao Convento de Santo António, local onde hoje se instala o Convento da Sertã Hotel. José Relvas, conhecido entre os amigos como o Conspirador Contemplativo, foi um dos elementos mais ativos durante a implantação do novo regime republicano em Portugal. A sua família possuía fortes ligações ao concelho da Sertã, onde nasceram os seus avôs paternos: José Farinha Relvas (nasceu nas Relvas – Ermida) e Clementina Amália de Mascarenhas Pimenta (natural da Sertã). Os irmãos de Clementina Mascarenhas foram proprietários, após a extinção das ordens religiosas, do edifício que albergou o Convento de Santo António. Mais tarde, a irmã de José Relvas, Maria Clementina Relvas, passou a deter a propriedade do edifício, residindo aqui nos anos de 1891 e 1892. Já em 1909, morava no convento A.M. Ramos, administrador da Casa Relvas na Sertã.