Quando os frades pediram armas ao rei

Quando os frades pediram armas ao rei para defender a Ponte Filipina da Sertã. Os franceses tentaram, por três vezes, invadir Portugal no início do século XIX.

 

Os franceses tentaram, por três vezes, invadir Portugal no início do século XIX. Napoleão Bonaparte enviou os seus melhores generais para alcançar tal objectivo, mas as investidas não produziram os resultados desejados. Estas invasões permanecem na memória colectiva do nosso povo. São muitas as histórias de coragem que se contam e uma delas envolve os frades do nosso Convento de Santo António (Actual Convento da Sertã Hotel). Tudo aconteceu em 1810, quando os franceses tentaram invadir o país pela terceira vez. Os frades do convento, liderados por Frei António de Santa Bárbara, escreveram à Coroa, oferecendo a sua ajuda para a defesa de uma ponte, que se encontrava próxima do convento (a ponte filipina), dos ataques das tropas de Napoleão Bonaparte. A carta, cujo original se encontra no Arquivo Histórico Militar, narrava que os religiosos, “todos ainda moços”, desejando “mostrar o seu patriotismo”, recorrem a “sua Alteza Real para que lhes mande dar treze espingardas, baionetas, traçados, e as munições necessárias para defender aquella ponte, por ser a mais importante da villa”. O rei não correspondeu à solicitação, temendo provavelmente pela segurança dos religiosos. Porém, o gesto destes frades foi elogiado pela população local.