História do convento


conventoDaSertaHotel oldO convento de Santo António foi fundado em 1634 por Frei Jerónimo de Jesus e Frei Cristóvão de São José. A construção do edifício avançou em Julho de 1635 tendo ficado concluída alguns anos mais tarde. O convento, pertencente à Ordem dos Frades Menores – Província de Santo António, possuía uma bonita igreja com campanário, claustro, oficinas, poço e uma rica biblioteca. 

Os religiosos do convento viviam sobretudo das esmolas obtidas nas pregações e sermões efetuados nas freguesias do concelho da Sertã e de doações de vários beneméritos. O Grão-Priorado do Crato concedia também uma importante verba para o seu sustento.

Os frades desta casa conventual tiveram um papel fundamental na educação de muitos jovens do município sertaginense. Em 1772, eram dadas aulas de Latim no interior do edifício e, sete anos depois, a rainha D. Maria I mandou que aqui se criasse uma “escola de ler, escrever e contar”.

ClementinaRelvasCom a extinção das ordens religiosas, em 1834, o convento foi secularizado e entregue a Carlos António Mascarenhas Pimenta, para remuneração dos seus serviços enquanto Governador Civil de Santarém.

O convento foi depois legado, sucessivamente, a Simão José de Mascarenhas, Romão Luís de Mascarenhas e, por fim, a Maria Clementina Relvas (irmã do conhecido José Relvas), que aqui habitou nos anos de 1891 e 1892.


Na década de 1920, o edifício foi adquirido pela Câmara Municipal da Sertã que nele instalou o quartel da GNR e as cadeias civis. No mesmo local, funcionou também uma escola primária.

Em 2013, este espaço foi convertido no Convento da Sertã Hotel.